Germinar estimula formação de lideranças transformadoras

Autoconhecimento é a peça-chave para ser um agente de transformação social. Essa premissa reuniu, durante 5 encontros, 20 pessoas em Alta Floresta no Programa Germinar. Agricultores de assentamentos e comunidades rurais, extrativistas, jovens recém-formados, técnicos e analistas de ONGs, dos 23 aos 56 anos de idade, participaram desta 2° edição do programa de formação, que contempla um total de 183 turmas já formadas.

Além da jornada de autoconhecimento, as pessoas que passaram pela formação foram desafiadas a construir novas relações e atuarem como facilitadores de transformação em suas comunidades. O projeto é focado para o norte e noroeste de Mato Grosso, um território muito jovem e permeado de conflitos, tensões e dificuldades de convivência entre diferentes grupos sociais.

“Eu mudei meu julgamento sobre as pessoas. Agora, reflito sobre a situação e as atitudes dos outros, além das minhas, antes de tomar qualquer decisão. Agora sou capaz de identificar conflitos e tento resolvê-los da melhor forma possível”, reflete o jovem agricultor Diemerson Junior da Silva, de Paranaíta. Diemerson, que é membro da diretoria da Cooperativa Coomasp, do Assentamento São Pedro, conta que a preparação intelectual e social dentro do programa o ajudaram a ter uma visão diferente das questões conflituosas do dia a dia.

Diemerson Junior da Silva participa de atividades do Programa Germinar de desenvolvimento de metas em campos da saúde, vida profissional, pessoal, socioambiental, econômico e do autodesenvolvimento.

A última etapa do programa, Biografia do ser humano, aconteceu no final do mês de maio. O módulo instigou os participantes a construir um Plano de Desenvolvimento Individual – um exercício de autoconhecimento – para os próximos quatro anos. Nas etapas anteriores, os participantes lidaram com situações reais propostas pelos mentores, como criação e renovação de uma cooperativa; a mobilização de uma comunidade; e a resolução de conflitos entre pessoas e grupos.

Solene Tricaud, monitora do Programa Germinar e representante do ICV, explica que as ações realizadas giraram em torno de uma pergunta-base como orientação: como eu posso ajudar a facilitar esses processos? ”Muitas sementes de transformação foram plantadas durante esse processo e, com certeza, já germinaram”, conta Solene, explicando que é uma via de mão dupla. “Como monitora, influenciou muito no meu autodesenvolvimento. Foi uma oportunidade de melhorar meu desempenho na condução de grupos e facilitação de processos”.

Germinar estimula formação de lideranças transformadoras

Marcilene Nunes Medeiros da Silva, agricultora e terapeuta, é membro da Associação Guadalupe Agroecologia, em Alta Floresta, se sente como uma destas sementes germinadas durante os módulos. “O maior desafio foi me autoconhecer. Percebi que além de me conhecer, era importante compreender o temperamento das pessoas e como nossas atitudes mudam conforme entendemos o outro”, explicou. “Fazer um plano de ação para o futuro onde penso o que posso mudar para ajudar as pessoas foi uma excelente ideia. Sempre sonhamos e almejamos, mas nunca, de fato, escrevemos para refletir”, disse.

Germinar estimula formação de 183 lideranças transformadoras. Marcilene Nunes Medeiros da Silva participa das atividades propostas pelo programa

Desenvolvimento regional

O ICV investe em ações que propõem uma construção de soluções compartilhadas em lugares que tem diversidade cultural e complexidade. Segundo Renato Farias, diretor executivo do ICV, o Programa Germinar é justamente isso: uma ação de formação que traz, para o individuo, uma visão territorial estratégica. “Ações como essa são espetaculares para o ICV. O Germinar traz discussões de resolução de conflitos, percepção de reconhecimento de território, e, também, de se reconhecer – o que ajuda a se preparar para trabalhar com grupos”, explicou.

De acordo com Renato, essa construção de soluções é fundamental, e, até a equipe do ICV participa da formação, o que intensifica discussões mais amplas e estratégicas. “Por isso que investimos tanto. O curso é um passo a mais que foi dado”, finalizou.

Essa edição do programa foi realizada com o apoio do Instituto Centro de Vida, da empresa Pecuária Sustentável da Amazônia (Pecsa), AGUA, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e da Secretaria de Meio Ambiente-MT. “A meta então é continuar a caminhada. Nosso plano é realizar uma próxima turma no futuro, envolvendo sempre mais lideranças de comunidades rurais. E, para isso, é sempre interessante o apoio de organizações”, disse Solene.

Germinar estimula formação de 183 lideranças transformadoras

Germinar

O Programa Germinar foi criado em 2003 com apoio da Adigo e do Instituto Ecosocial. Atualmente, está sob responsabilidade da organização Comviver, que tem o propósito de Semear Autonomia, Confiança e Coragem Social para Transformar. O programa busca capacitar pessoas para se engajarem em projetos de transformação pessoal e coletiva. O público-alvo são funcionários de organizações do terceiro setor, líderes comunitários, empreendedores sociais e profissionais da área de responsabilidade social e sustentável.

O curso é dividido em cinco módulos de 30 horas cada, com um ano de duração. A iniciativa, além da parceria com ICV, conta com o apoio do projeto Aliança do Clima e Uso do Solo (CLUA, na sigla em inglês), da Empresa Pecuária Sustentável da Amazônia (PECSA), da Associação Guadalupe Agroecológica (AGuA), do SEBRAE, e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA).